26 de mai de 2010

Danças circulares rompem circuito alternativo e viram moda até na noite

Dança de roda, todo mundo sabe, é aquela brincadeira de criança ou manifestação folclórica presente em qualquer canto do planeta. Só que a ciranda já botou seu pezinho no mundo dos modernos do século 21. Em algumas baladas, gente de 20 a 30 anos está dando as mãos para dançar em rodas ou espirais com a base coreográfica e musical de danças circulares tradicionais. A tradição, nesse caso, é a dos países balcânicos (no Leste Europeu). A balada é a festa Go East, criada no Rio de Janeiro, onde acontece todo mês, e replicada em São Paulo, onde ocorre com menos regularidade, mas com a mesma animação. Ao som de ritmos típicos de povos eslavos e ciganos, mixados com música eletrônica como drum"n'bass e dub ou até mesmo rock, o povo da noite também resolveu cair na dança circular. Um dos benefícios mais citados da dança circular é o aspecto inclusivo e coletivo, capaz de criar vínculos e relações de solidariedade entre os praticantes. Não é pouco, em uma época em que a competitividade (e o estresse que ela gera) tomou conta até das atividades voltadas ao bem-estar. IARA BIDERMAN COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

8 de mai de 2010

Feliz dia das Mães!!!!!!!!!!!!!

Eternamente Mãe MÃE... que na presença constante me ensinou na pureza do seu coração a vislumbrar caminhos... MÃE... dos primeiros passos, das primeiras palavras... MÃE... do amor sem dimensão, de cada momento, dos atos de cada capítulo de minha vida não ensaiados, mas vividos em cada emoção... MÃE... da conversa no quintal, do acalanto do meu sono aquecido de amor, aninhada em seu coração... MÃE ... do abraço, do beijo que levo na lembrança... MÃE... é você que me inspira a caminhar... MÃE... a presença de cada passo que o tempo não apaga: por mais longo e escuro que seja o caminho, haverá sempre um horizonte... MÃE... Mulher a quem devemos a vida, que merece o nosso respeito, nossa gratidão e nosso afeto.
Autor Desconhecido

Cinco coreografias indianas e Ballet de Niterói são atrações do sábado

A bailarina Sonia Galvão apresenta cinco coreografias indianas no Teatro de Dança, no centro de São Paulo, neste sábado (8). O Ballet da Cidade de Niterói traz duas coreografias inspiradas na obra do filósofo Zygmunt Bauman ao palco do Sesc Pinheiros, na zona oeste.

1 de mai de 2010

Jazz

Ballet Stagium dança história do Brasil até domingo

O espetáculo do Ballet Stagium "Coisas do Brasil" foi apresentado pela primeira vez em 1979. Junto a "Choros", ele volta a ser interpretado neste final de semana. Para a diretora Márika Gidali, cada vez que a coreografia de Décio Otero, que conta a história do país e suas contradições desde a chegada dos portugueses, é executada --o que já aconteceu cerca de 400 vezes, pelo menos--, mais atual ela parece ser. A trilha ganha foco na segunda coreografia, "Choros". Nela, bailarinos mostram possíveis maneiras de dançar o primeiro gênero instrumental tipicamente brasileiro. LAILA ABOU MAHMOUD